iv>
Receba as novidades MASE em seu e-mail Para cadastrar-se basta colocar seu nome
e email nos campos ao lado.

Esclerose múltipla: dezesseis mil brasileiros estão em tratamento no Sistema Único de Saúde (SUS

Cerca de 40 mil brasileiros têm o diagnóstico de esclerose múltipla (EM)[2], doença autoimune que acomete o sistema nervoso central (cérebro e medula espinhal) e apresenta uma ampla diversidade de sinais e sintomas. A progressão, a gravidade e a especificidade dos sintomas são imprevisíveis e variam. Enquanto alguns pacientes são minimamente afetados, outros são acometidos por uma rápida progressão até chegar a um nível de grande dependência física. “O aspecto clínico da EM varia bastante de paciente para paciente. Temos quadros que são mais silenciosos, assim como formas que são mais agressivas e sintomáticas”, afirma Dra. Ana Cláudia Piccolo, neurologista, professora de medicina da Universidade Municipal de São Caetano do Sul e Faculdade Santa Marcelina. A especialista ressalta que os sintomas mais comuns, entre outros, são a fadiga, problemas de visão (diplopia, neurite óptica, embaçamento), problemas motores (perda de força ou função; perda de equilíbrio) e alterações sensoriais (formigamentos, sensação de queimação).

SAIBA MAIS

Ministério da Saúde realiza pesquisa telefônica em todo o país para conhecer perfil de saúde do brasileiro

Em 2020, a projeção é ouvir aproximadamente 27 mil pessoas somente no primeiro semestre. O levantamento, realizado nas 27 capitais do país, mapeia as ocorrências de doenças crônicas não transmissíveis como diabetes, cânceres, obesidade, doenças respiratórias e relacionadas ao coração, que são as principais causas de mortes no país.

SAIBA MAIS

Tuberculose: Abertas inscrições para seleção de projetos de pesquisa contra a doença

O Ministério da Saúde abriu uma chamada pública para selecionar projetos de pesquisa que envolvam novas tecnologias no combate à tuberculose. O edital tem a abrangência dos países do BRICS, formados pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Ou seja, os estudos devem ter parceria com pelo menos um pesquisador de algum país dos BRICS.

SAIBA MAIS